Bills

25 pages
14 views

BREVE CURSO DE PREGAÇÃO BÍBLICA.pdf

Please download to get full document.

View again

of 25
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Share
Description
a versão pdf do material usado para o curso de pregação que ministramos na Congregação Presbiteriana de Conceição do Coité - BA
Transcript
    Curso De Pregação Bíblica   Uma Breve Introdução à arte da exposição Bíblica OUTUBRO DE 2!" #E$TRO DE E%TUDO% &RE%BITERI'$O #O$(RE(')*O &RE%BITERI'$' DE #O$#EI)*O DE #OIT+ , B'-  1 BREVE CURSO DE PREGAÇÃO BÍBLICA .  Prof. Rev. João Ricardo Ferreira de França. *   INTRODUÇÃO : A pregação da Palavra de Deus é uma das tarefas mais difíceis de ser realizada. Pregar não é fácil. Há uatro anos atrás escrevi uma !reve apostila so!re a pregação como a vox Dei  "A pregação como a voz de Deus# nauela ocasião focalizei so!re a $ist%ria da  pregação& seguindo por uma lac'nica definição de pregação e(positiva e suas características& e por fim& apresentei de forma resumida a uem é destinada a tarefa da Pregação.  )este curso apresentaremos o lado prático dauilo ue foi a!ordado $á uatro anos atrás. )os focalizaremos especialmente na tarefa da apresentação e da entrega dos serm*es !í!licos. I – O QUE É PREGAÇÃO? 1.    Definições : Devemos ressaltar ue a pregação apresentada aui no curso é a ue leva a e(posição do te(to sagrado comumente con$ecida como pregação e(positiva. As definiç*es uanto a este tipo de pregação são variadas: A pregação e(positiva é a comunicação de um conceito !í!lico& derivado de& e transmitido através de um estudo $ist%rico& gramatical e literário de uma  passagem em seu conte(to& ue o +spírito ,anto primeiramente aplica -  personalidade e e(perincia do pregador& e depois& através dele& a seus ouvintes 1  /ma outra definição !astante elucidativa uanto a este tipo de pregação é auela oferecida por 0alter aiser 2r. 3ue declara: 4/m sermão e(plicativo 5e(positivo6 toma um parágrafo inteiro no mínimo "uma cena em narrativa& ou uma estrofe em poesia# e  permite ue o te(to !í!lico forneça a força tam!ém o conte7do da mensagem ou lição do 8  9 autor é inistro da Palavra e dos ,acramentos pela ;gre2a Pres!iteriana do <rasil. =ormado em >eologia  pelo ,eminário Pres!iteriano do )orte ",P)# em ?ecife @ P+. =oi professor de línguas !í!licas "He!raico e rego# no ,eminário Pres!iteriano =undamentalista do <rasil ",P=# em ?ecife @ P+. Atualmente está cursando mestrado no ;nstituto <ereano de >eologia @ ;<+>+9 @ <rumado @ <A. Ho2e é pastor na ;gre2a Pres!iteriana de ?iac$ão do Bacuípe @ <A. C casado com éssica A. ,orares do )ascimento de =rança e  pai de ucas uís )ascimento de =rança e B7lia Hadassa )ascimento de =rança. 1  ?9<;),9)& Haddon 0. Prega!" B#$%&'a – O De(e)*"%*&+e)," e a e),rega -e Ser+e( E/0"(&,&*"(. >radução: Hope ordon ,ilva. ,ão Paulo: ,$edd Pu!licaç*es& EFFG& p.EE.  E  pr%prio te(to E . ;sto aponta para o fato de ue a 4pregação e(positiva tenta apresentar e aplicar as verdades de uma passagem !í!lica específica.  G   .   O U(" -e Q2a,r" V"'3$2%"( 42e 5a%a+ ("$re 0rega!". Dentro do espectro da definição deveIse lem!rar ue e(istem uatro palavras na língua grega ue tem sido usada para descrever a arte e ofício da pregação neotestamentária. E.1    @  Kerysso  5  russw 6: +ste é o primeiro vocá!ulo !í!lico ue é usado para descrever o ofício da pregação  !í!lica no )ovo >estamento. )o grego temos a palavra 4 khrux  @ keryx  @ o emprego desta  palavra é Jdescrever o $omem ue é comissionado pelo seu so!erano& ou pelo estado&  para anunciar em voz alta alguma notícia& a fim de tornáIla con$ecida. K  Apontando para alguém ue prega com autoridade comissionada. As 4palavras da família de erusso são usadas para descrever a pregação de Bonas "t.1E.K1#& de Boão <atista "t. G.1#& de nosso ,en$or Besus Lristo "MproclamarN e MapregoarN @ c.K.1O!I1# e de seus ap%stolos "MpregadorN @ 1Q >m E.RS EQ >m 1.11#. E.E    – Euangelizo 5 678996;<= 6 A atividade de partil$ar o evangel$o é incorporada na vida do pregador conforme vemos em ?omanos 1.1T. A palavra aui demonstra ue muitas vezes e(ercemos a evangelização ao da igre2a. E.G    !ar"yreo  5 >8@6 w 6 9 sentido desta palavra é 4dá testemun$o dos fatos tem $aver com falar so!re o evangel$o ou apresentar os temas do evangel$o "Boão K.GS 1Q Boão 1.E# e envolve um elemento da pregação da igre2a "ucas EK.KKIKO#. E.K    @  Didasko 5 διδ  σκο w 6 E  A;,+? B?& 0alter L. Prega)-" e E)(&)a)-" " A),&g" Te(,a+e),"  U+ G2&a 0ara a &grea . ?io de Baneiro& LPAD& EFF& p.TIUF. G  LHAP+& <raVan. Prega!" Cr&(,"'),r&'a – Re(,a2ra)-" " (er+!" e/0"(&,&*": U+ G2&a 0r3,&'" e ,e"%Fg&'" 0ara a 0rega!" B#$%&'a . ,ão Paulo: Lultura Lristã& EFFE& p.EE. K L9H+)& ot$ar& 4W$ru&ssX. ;n: D"'&")3r&" I),er)a'&")a% -e Te"%"g&a -" N"*" Te(,a+e)," Yolume E& +d. ot$ar Lo$en e Lolin <roXn. >radução: ordon L$oXn. ,ão Paulo: Yida )ova& 1G& p. RK1.  G A 7ltima palavra relacionada com pregação é esta aui ue o sentido !ásico é 4ensinar& a pregação do evangel$o tam!ém carrega uma !oa dose de ensino ou doutrinaZ 9 testemun$ar de Lristo deve ser sempre regado com doutrina. +m Atos T.KE& lemos ue os ap%stolos não cessavam 4de ensinar e de pregar " didasko e euangelizo # a Besus& o Lristo. +ntão& pregara a palavra envolve ensinar tam!ém doutrinasZ + o uso destas  palavras nos mostram ue a tarefa da pregação é mais ampla. H.   Cara',er#(,&'a( -a Prega!" Ne",e(,a+e),3r&a. 3uais características  #r$"icas  deve ter a pregação !í!lica[ 9 ue caracteriza uma verdadeira pregação da palavra[ 9l$ando para o )ovo >estamento podemos identificar trs carac"er%s"icas &$sicas de u'a #regação . G.1    – (o'#ulsão : 9 pregador é c$amado a tarefa de pregar. +le é impulsionado ou mesmo constrangido para anunciar o evangel$o "1Q Loríntios .1U#. 3uando os $omens uerer ue paremos a pregação devemos responder como fizeram os ap%stolos "Atos K.EF# não  podemos parar de falar e anunciar o evangel$oZ C essa compulsão ue toma conta de cada um n%s uando su!imos no p7lpito para pregar o evangel$o. A igre2a evangélica de nosso tempo está tão tomada pelo pecado ue muitas vezes tenta silenciar a pregação pelos programas adicionais ao culto: coral& grupo de louvor& coreografia @ mas a pregação precisa ser reduzidaZ 1T minutos& dizem alguns& 2á suficiente  para a pregaçãoS mas uem tem essa compulsão dirá nãoZ Preciso pregar a palavra de Deus. G.E    @ (lareza : A segunda característica de uma pregação verdadeiramente !í!lica é a sua 4clareza. +ste termo poderia ser su!stituído por 4popular em seu estilo& podemos& dizer ue o estilo puritano é o ue se apro(ima deste conceito. 9 pr%prio ?ic$ard <a(ter& o  puritano& falou so!re a pregação de seus pares como tendo por meta 4As palavras mais simples são a orat%ria mais proveitosa& uanto -s uest*es mais importantes T . 0illiam PerWins& outro puritano& disse ue o sermão 4Deve estar claro& l7cido& e evidente .... C um T  PAL+?& B.;. E),re "( G&ga),e( -e De2( – U+a *&(!" P2r&,a)a -a V&-a Cr&(,! . ,ão Paulo: +ditora =iel& 1U& p.GFU.  K  provér!io entre n%s: =oi um sermão muito simples: + eu digo novamente& uanto mais simples& mel$or. U  A clareza na pregação é de fundamental import\ncia. ,tuart 9lVott nos lem!ra ue 4A !oaInova apresentada com palavras e frases difíceis não é !oaInova. ,e os fatos são mostrados sem clareza parecerão ficção.  R  a  pregação é a apresentação franca da verdade "EQ Loríntios K.E# e ue não se deve florir a  palavra de Deus com vãs filosofias "1Q Loríntios 1.1R#. A clareza na e(posição !í!lica é importante na vida dos pregadores da palavra& pois& eles precisam falar - mente e ao coração dos seus ouvintes. "1Q Loríntios E.1IT#. G.G    @ (ris"oc)n"rica : A outra característica da pregação é ue ele se centraliza em Lristo. >odo alvo da  pregação deve ser sempre apresentar e levar os $omens a Lristo. 9 tema central de toda a escritura é cristo.  )ovamente devemos ressaltar ue a pregação puritana tin$a esta característica. 9 Bames ; PacWer mais uma vez nos lem!ra: 4A c$amada do pregador consiste em anunciar todo o consel$o de DeusS e a cruz é o centro desse consel$o. 9s Puritanos sa!iam ue uem via2a através das paisagens da <í!lia perderIseIá no camin$o assim ue perder de vista a colina do Lalvário O . 9 pr%prio sen$or Besus nos ensina ue a totalidade das +scrituras ensinam so!re ele "ucas EK.ETIERSKKIKO#. Paulo ao orientar o 2ovem pastor >im%teo evoca ue as sagradas letras podem tornar o $omem sá!io pela fé em Lristo "E >im%teo G.1T# isto significa ue a Palavra de Deus é saturada pelo ensino a respeito do redentor& então& toda a pregação deve ter uma orientação cristocntrica. II – A PREGAÇÃO EPOSITIVA – SUA ECELJNCIA .+ – , -ecessidade da Per%cia Exeg"ica : Antes de tudo ca!e uma palavra aui. )ão se pretende neste estudo e(igir dos alunos o con$ecimento das línguas srcinais& ainda ue se2a importante con$ecIlas& e U  <+++& Boel ?.S B9)+,& arW.  , Puri"an /0eology – Doc"rine for 1ife & rand ?apids& ic$igan: ?eformation Heritage <ooWs& P.UR1 R  9]9>>& ,tuart. Prega!" P2ra e S&+0%e( . ,ão Paulo: +ditora =iel& p.EE. O  PAL+?& B.;. E),re "( G&ga),e( -e De2( – U+a *&(!" P2r&,a)a -a V&-a Cr&(,! . ,ão Paulo: +ditora =iel& 1U& p.GFR.
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks
SAVE OUR EARTH

We need your sign to support Project to invent "SMART AND CONTROLLABLE REFLECTIVE BALLOONS" to cover the Sun and Save Our Earth.

More details...

Sign Now!

We are very appreciated for your Prompt Action!

x